Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O castelo do Camelo.

O castelo do Camelo.

Queres que Portugal mude? Muda-o tu!

Sim! Muda-o tu, tens essa oportunidade agora!

É comum ver os portugueses a queixarem-se da nossa liderança política e do que essa liderança faz. E também se queixam que os políticos são todos iguais e que não têm alternativas políticas que defendam aquilo em que acreditam.

 

Pois bem! Chegou o momento de mudar tudo isso!
Vários dos partidos mais conhecidos, estão a dar ao público em geral, oportunidade de participarem na criação dos programas eleitorais e em alguns casos até na escolha de candidatos (ou pelo menos de parte deles). As duas excepções mais notáveis são o Bloco de Esquerda e o CDS-PP e o PSD, realizou uma consulta organizada mais limitada (apenas a militantes) e sem grande anúncio público (excepto quando a consulta estava prestes a terminar).


E se acham que os partidos que não existem não servem? Tudo bem, já surgiu pelo menos dois novos partidos: o Partido Democrático Republicano, ou como toda a gente o conhece o Partido do Marinho Pinto) e o  Livre (mais conhecido como o Partido do Rui Tavares). Este último que não vai concorrer por si só mas sim como "cavalo de Tróia" do "Tempo de Avançar". E por falar em "cavalo de Tróia", parece que o Partido Trabalhista Português (conhecido como o Partido do José Manuel Coelho) vai ser o "cavalo de Tróia" do movimento Ag!r (mais conhecido por Movimento da Joana Amaral Dias).

Parece-me haver claramente o princípio de abertura e apelo à participação dos cidadãos. Nuns casos maior, em outros casos menor. Mas claramente trata-se de um comportamento ainda embrionário por parte dos partidos e com pouca adesão dos cidadãos.

A realização de eleições primárias (PS e Tempo de Avançar), são a par deste esforço de crowdsourcing dos programas eleitorais, o segundo maior esforço de abertura.

Não consigo dizer o quanto é importante que todos participemos, nem o quanto é importante que se faça mais pressão para que esta abertura aumente, não só onde começa a existir, mas também onde ainda não existe.

Se são simpatizantes destes partidos/movimentos, envolvam-se activamente esta é a maior oportunidade que tivemos desde o 25 de Abril de exercer verdadeira participação na vida democrática, de renovar a politica em termos de pessoas e ideias. Se não são, não deixem de participar de alguma forma, sugerindo medidas em que acreditem. Mesmo quando não concordamos com a generalidade da ideologia de um partido/movimento, há sempre pontos/medidas/políticas especificas em que podem haver convergências/compromissos. E para além disso demonstra que o povo está ansioso por exercer a sua soberania de mais e melhores formas.


Assim sendo aqui deixo alguns links para que possam participar:

 

Se tiverem conhecimento de mais iniciativas, ou de formas de participação, façam um comentário no blogue, que eu adiciono à lista.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D