Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O castelo do Camelo.

O castelo do Camelo.

O estado polícial da Inês de Medeiros

Em todas as audições feitas a propósito da Lei da Cópia Privada, a deputada Inês de Medeiros (Partido Socialista), defendeu sempre como única alternativa à taxa compensatória do prejuízo da Cópia Privada é vivermos num estado policial.

É incrível, como uma deputada do PS acha que um detalhe do Direito de Autor, pode justificar passarmos a viver numa ditadura (não sei se com um Salazar em cada esquina).

A deputada não parece achar justificável a necessidade de vivermos num estado policial para combater: a violência doméstica, o tráfico de droga, o tráfico de seres humanos, ou até pelas violações do Direito de Autor. Mas no entanto é para ela um imperativo moral fazer os consumidores legais de obras, pagar uma taxa (por um direito que podem, ou não exercer) é para ela tão grande, que a única alternativa a ter o esquema actual sem nenhum tipo de alteração significativo, é após a compra legal uma cópia de uma obra (e assim ter compensado autores, artistas e interpretes), termos todos um polícia ao nosso lado a cobrar por cada cópia privada que fazemos daquilo que já pagámos.

Quando forem votar lembrem-se!

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D